mariposa
William LePar
Postado em 16 de fevereiro de 2013

Tal como nós somos atraídos para a luz de Deus,

como mariposas são atraídas para uma chama,

igualmente Deus é atraído para onde está o amor,

como uma mariposa é atraída para a chama.

Desde o começo da humanidade, nós sempre somos atraídos naturalmente para a luz, seja ela uma luz física ou a luz de alguma recordação perdida de um estado maior.

Vejam como a borboleta é atraída para a luz de uma linda flor.

Quando pousa nas pétalas, ela se banha no brilho refletivo de sua brilhante anfitriã, é lhe servido o néctar doce que é o sustento de sua vida.

Nós que somos mais parecidos com uma mariposa viajando numa terra de escuridão, imediatamente somos atraídos por um brilho distante.

Nós buscamos essa luz brilhante para que ela possa iluminar a escuridão por que devemos viajar.

Nós buscamos esse calor para que ele possa nos confortar em nosso voo.

A luz não é proporcionada como um ato de amor para nos orientar para um local mais seguro?

Não é um ato de amor a luz nos proporcionar um calor?

Não é um ato de amor a luz iluminar o local escuro em que nós esvoaçamos?

É por acaso que a concepção de luz do homem é o símbolo para o Doador de tudo que é necessário e significativo para o homem?

Nós ainda não nos conscientizamos de que não existe essas coisas como o acaso?

Esses determinados símbolos, determinados conceitos, são uma parte de nosso ser interior, de nossa realidade exterior, para que esse Amor que é representado pela Luz esteja sempre perante nós, se escolhermos vê-lo, se escolhermos aceitá-lo?

É possível que possamos até começar a conceber a luz, a chama, se não houver pelo menos um mínimo de amor dentro de nós?

Se existe uma pequena centelha de amor dentro de nós, então o supremo é inevitável.

É só uma questão de tempo até essa centelha de amor ser atraída de volta à Fonte original desse amor.

Independente de quão distante essa centelha se afastou, centelha e fonte são de uma unidade, assim elas devem se atrair e novamente se reunir.

E se essa centelha está perdida em desespero e nas trevas, então a verdade reinará nisto: que a Fonte de luz também se expandirá para essa centelha na distância.

Essas coisas apenas acontecem?

Coincidência?

Não, o semelhante será atraído para o semelhante porque o todo não pode ser todo a menos que todas as partes estejam presentes.

A luz não pode brilhar em seu potencial total se uma centelha estiver ausente.

A própria centelha, perdida em sua situação, pede por ajuda, pede para se reunir com o seu todo.

O homem pode combater esse anseio natural de ser atraído para seu Deus, mas é em vão porque ele foi concebido no amor, portanto, o amor de Deus está presente nele escolha ele utilizá-lo ou não.

Sendo isto um fato, então também é um fato que Deus será atraído para ele, pois ele é atraído para seu Criador.

Qual é a força motriz dessas ações?

Nada com escassez de amor.

O mesmo amor que podemos ter uns pelos outros.

O amor que temos uns pelos outros é o mesmo amor que o Divino tem por nós como indivíduos.

O destino inevitável do homem: a unificação de sua alma com a Grande Alma de Seu Criador.

Tudo na vida ou criação, sejam aspectos materiais ou aspectos espirituais, está conectado.

Nada está isolado.

Neste fato da realidade, que todas as coisas são conectadas, há pontes ou caminhos ou avenidas que unem toda a criação que nós podemos percorrer e que podem nos levar para pontos ou oportunidades diferentes.

Algumas dessas avenidas são pequenas ações ou pensamentos simples, atitudes ou estados de espírito.

Elas são para nós utilizarmos.

Elas não são necessárias para o Divino.

Elas são necessárias para nós.

Para alcançar o ponto de ter essas atitudes ou abordagem, nós temos que atingir uma compreensão específica, um insight específico, uma consciência específica e a fé para confiar em uma ação e crença como uma criança.

Lembrem-se: é a criança que o Divino tem em Seu Braços e manterá em Seu Seio.

Os raios do Amor de Deus se expandem até as nossas pequenas ações simples ou pensamentos ou atitudes que portam essa pequena centelha de luz.

E como os raios do Amor de Deus se conectam conosco através dessas pequenas ações simples de que somos responsáveis, elas atuam como um imã que os atrai e nivelam nosso caminho até Ele.

E nesta conexão simbiótica, o homem é levado para sua glória suprema.

Mais de William LePar vá em www.WilliamLePar.com
Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com
Respeite os créditos

Dejar respuesta